segunda-feira, 26 de março de 2007

Navio Serpa Pinto

Chaminé do Paquete Serpa Pinto.
Funnel of the passenger liner Serpa Pinto.

Navio Serpa Pinto da CCN, no Funchal em 1945.
Serpa Pinto Ship at Funchal - Madeia island, 1945.


3 comentários:

Alvaro Cabral Ferreira disse...

Caro senhor Fernando L. Gomes
Fiquei deveras muito emocionado ao
ver o que escreve sõbre o Navio Serpa Pinto.Sabe senhor Gomes,o meu
pai,foi tripulante deste BONITO NAVIO e,foi como todos, passageiros e tripulantes,testemunha da intercepção em 26 de maio de 1944 a 600 milhas das Bermudas por um submarino alemão,tendo sido todos,passageiros e tripulantes,evacuados para as baleeiras onde andaram toda a noite ao sabor das ondas (12 horas ) até que tiveram ordem de regressar.Foi uma tragédia, porque morreram dois adultos e uma criança.Não me lembro de na altura ter sido dada qualquer relevãncia
a este acontecimento!!! Claro,não convinha.Estavamos em 1944 ! O meu PAI foi e cotinua a ser o grande IDOLO da minha vida, apesar de nos ter deixado muito cêdo (1954 ) e eu estou á beira de fazer 83 anos,
continua a fazer-me muita falta com os conselhos de um bom pai.
Peço-lhe muita desculpa pelo tempo que lhe roubei.
Tenho em meu poder as fotos (inéditas)dêsse trágico acomtecimento.
Com os meus respeitosos cumprimentos

Alvaro Cabral Ferreira

marco estevao disse...

Caro sr. Álvaro Cabral Ferreira,
Gostaria de saber mais sobre os tripulantes mortos no incidente do navio Serpa Pinto em 1944, pois penso que existe uma ligação com um familiar meu.

cumprimentos
Marco Estevao

alvaro cabral ferreira disse...

12-09-2016

Caro sr. Marco Estevão, só hoje reparei na sua resposta pelo que peço desculpa por esta negligência.
Gostaria de poder dar-lhe alguma ajuda sobre a identificação dos mortos no incidente mas como deve calcular não sei os nomes sei, sim, que foi uma criança, uma senhora e um dos cozinheiros de o navio, mais não sei.
de qualquer modo muito gostaria de pessoalmente falar como senhor e mostrar-lhe as fotos que tenho em meu poder e que são inéditas !

Com os meus cumprimentos

Álvaro Cabral ferreira